#2022EM22 - Só ver a bola em Branding

‘’O pior cego é aquele que só vê a bola!’’. Essa frase maravilhosa é do Nelson Rodrigues, famoso dramaturgo brasileiro, usada por ele dentro do contexto do futebol, uma de suas outras paixões. À época, ele já via que o futebol ia muito além de acertar o gol e expandia seu olhar. Se ela serve para o futebol, para nós se encaixa como uma luva na forma como vemos o Branding e, acima de tudo, para entender pessoas. Abaixo relacionamos algumas dessas cegueiras que ainda encontramos em nossa área.


Só ver a bola em Branding é achar que a concorrência de sua marca se limita aos concorrentes diretos. Algo como, se você tem uma loja de sapatos, seria acreditar que sua marca compete apenas contra outras lojas de sapatos. Mas, na verdade, sua loja compete com a loja de roupas, com a escola do filho e com a assinatura de streaming. O bolso de quem compra é um só e a disputa pelos reais é em mar aberto.


Só ver a bola em Branding é cair na armadilha de ver o consumidor apenas pelas lentes da racionalidade, acreditando que o mundo atual move as pessoas exclusivamente pelo lado esquerdo do cérebro. Doce ilusão imaginar que apenas porque temos mais informações somos hoje mais racionais. O que acontece, muitas vezes, é que aumentamos os nossos bullets racionais para justificar escolhas puramente emocionais. Por exemplo, ao escolher um jeans, elencamos todas as suas vantagens racionais: caimento, corte, tecido, preço, tonalidade, etc. Mas, no fundo, é como me sinto com esse jeans, ou, a sensação que ele me traz ao usá-lo ou como sou percebido/a pelos outros que fecham a compra e a escolha. Ignorar o lado direito do cérebro é cegueira absoluta.


Só ver a bola em Branding é buscar inspiração para Branding apenas no Branding. O que torna ricas as estratégias das marcas é sermos capazes de abraçar diferentes saberes, conhecimentos e análises. Não de forma rasa e superficial, mas mergulhando de verdade, indo a fundo e ampliando nosso olhar. Cinema, música, literatura, claro, são inspirações naturais. Mas também há conhecimento visitando uma feira de rua, um museu ou indo ao supermercado e abrindo a escuta para ouvir pessoas.


Só ver a bola em Branding é acreditar que a estratégia das marcas apenas do lado de fora, no mercado. Marcas, como falamos, se constroem de dentro para fora. Sem colaboradores engajados e conhecedores da estratégia da marca, não há força que resista do lado de fora. Portanto, enxergar bem é abraçar dentro e fora, sempre começando do lado de dentro.


Já que falamos em ampliar o olhar, terminamos esse texto convidando vocês a completarem. Afinal, olhar além da bola é o que importa, certo? Só ver a bola em Branding é….